Institucional
Histórico

      O Colégio Deoclécio Ferro surgiu da ideia do estudante Acrísio Nogueira Pessoa, junto com José Albuquerque Nobre e Teresinha Bernardo de Souza, na época, estudantes liceístas, que se tornariam pedagogos e técnicos em educação atuantes no ensino do Ceará.

     Para iniciar suas atividades, eles conseguiram uma sala na residência do casal Sr. Francisco Bernardes Souza e Sra. Maria Fernandes de Souza. Uma mesa, cadeiras, bancos e caixões, substituíam as carteiras escolares. Começaram as atividades com quarenta alunos, com alguns se sentando no chão devido a falta de cadeiras. Os fundadores eram estudantes pobres, porém ricos de ideal, tradição e bons costumes. Foram eles os seus primeiros professores. As aulas nesta época eram voltadas ao reforço escolar e o preparatório ao curso de Admissão Ginasial em escolas públicas e privadas.

    Em virtude do aumento da matrícula, o curso transferiu-se para uma casa alugada na Rua Professor Nogueira, 926. O novo imóvel, além se ser utilizado pela escola, servia também como residência de Acrísio, Albuquerque e seus irmãos, que providenciaram eles próprios a pintura e reforma dos móveis e do local.

Nesta ocasião, Teresinha Bernardo decidiu sair e seguir carreira profissional, ficando os dois demais, já com outros professores, porque as turmas cresciam. Depois foi a vez de Albuquerque deixar a sociedade para trabalhar no Colégio Capistrano de Abreu. O professor Acrísio continua com a escola, já equipada com carteiras, lousas e birôs. Seu sonho era tornar o Instituto Professor Deoclécio Ferro uma escola de destaque no Parque Araxá.

     Apareceu a estudante liceísta Ângela Maria Sales Nogueira, para ingressar no quadro de professores. O que teve início com uma relação profissional se transformou numa relação conjugal que trouxe grandes conquistas para a escola. Com o dinamismo, inteligência, capacidade e organização da estudante Ângela, a matrícula aumentou para 160 alunos, exigindo um local maior. O novo imóvel era localizado na rua D. Rêgo de Medeiros. Nesta mesma época o professor Acrísio se ausenta temporariamente para fundar e dirigir o Colégio Oliveira Paiva, na qualidade de sócio com o poeta, escritor, educador e político José Maria Barros de Pinho.  Ângela e uma equipe de excelentes professores dão continuidade ao trabalho aumentando a matricula para 240 alunos. Apenas dois anos depois, foi preciso mudar-se novamente para atender aos novos alunos e à implantação do curso ginasial. 

     Começam as atividades em prédio alugado na Rua Professor João Bosco, nº 76, no Parque Araxá, bairro de onde não mais sairia até fixar sua sede atual. Rapidamente, a matrícula chegou a 600 alunos do Pré-Escolar até a 6ª série do 1º. Grau (atual Ensino Fundamental). A cada ano, as séries seguintes foram implementadas, transformando o antigo curso preparatório Instituto Professor Deoclécio Ferro em Colégio Deoclécio Ferro, com as turmas em todos os segmentos da Educação Infantil ao Ensino Médio.

     Depois da ampliação física do novo prédio com a construção de quatro novas salas de aula, cantina, instalação da Biblioteca Juscelino Kubitschek de Oliveira, quadra de esportes e palco, além da criação da EXPEC (Exposição de Educação e Cultura) e da instalação do Departamento Esportivo, eis que a Igreja dos Remédios, proprietária do imóvel, solicita o cancelamento do aluguel, requisitando o prédio e pondo em jogo o funcionamento da Escola.

     Mãos a obra. Com a ajuda do arquiteto do Universo e a compreensão da saudosa Professora Júlia Machado Vieira (Julinha), o casal Acrísio e Ângela em reunião com seus filhos, decide vender a casa e juntar todas as reservas para comprar o terreno e iniciar a construção da sede própria. O velho sonho dos proprietários e de toda constelação escolar Deocleciana se tornava realidade. Com entrada pela Rua Papi Júnior, 160 a atual sede foi inaugurada no ano de 1988.

     Após quatro grandes ampliações, sendo as duas últimas a construção de um bloco exclusivo para o Ensino Médio e a sede para o Sistema de Ensino integral (Deo Sei), o Colégio Deoclécio Ferro figura hoje entre as melhores escolas da cidade de Fortaleza. Em 2016, o colégio foi destaque em matéria do jornal O POVO (edição de 05/10/2016) sobre as cinqüenta melhores classificações do Exame Nacional do Ensino Médio no estado do Ceará, comprovando o excelente trabalho desenvolvido por seus profissionais. Além da formação científica o Colégio conta ainda com uma equipe de professores formados em Educação Física desenvolvendo atividades de natação, ballet, karatê, futsal, vôlei, handebol e basquetebol.

     Em 2013, foi criado o Sistema de Ensino Integral. O Deo Sei, como é conhecido, proporciona aos pais a oportunidade de deixar seus filhos com uma equipe especializada em educação que, além do acompanhamento escolar, incentiva o desenvolvimento da criança nas artes e educação desportiva. Toda a alimentação das crianças é acompanhada por nutricionistas contratados para este fim.

     Intensificando sua característica de escola inovadora, o Colégio Deoclécio ferro possui hoje 100% de suas salas de aulas equipadas com lousas digitais, com todos os professores equipados com Ipads para tornarem a sala de aula um espaço interativo e estimulante para seus alunos, que contam com 90 Ipads para utilização em sala de aula. A escola foi ainda uma das pioneiras na implantação de um sistema que incentiva o aprendizado da segunda língua, proporcionando aulas de inglês desde a Educação Infantil.